Saltar para o conteúdo principal da página

Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte

Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte União Europeia

Menu Mobile

A sondagem realizada no âmbito da iniciativa “SOMOS DOURO”, apresentada a 14 de dezembro, no dia em que o Alto Douro Vinhateiro assinalou 17 anos de Património Mundial, permite concluir que os jovens reconhecem a existência de uma elevada qualidade de vida no território. As conclusões do estudo dão nota que 82 por cento dos jovens durienses afirmam que a qualidade de vida no Douro é “melhor ou muito melhor” do que noutras regiões do país.

O estudo, realizado pela empresa DOMP a uma amostra de perto de 400 jovens dos 16 aos 34 anos, identifica, igualmente, que 73 por cento dos jovens imagina-se a residir na região do Alto Douro Vinhateiro num futuro próximo. Manterem-se próximo de familiares e amigos, terem trabalho ou uma profissão ligada à região e qualidade de vida são os motivos mais apontados pelos que pensam continuar a residir no território Património Mundial. Já os jovens contactados naturais do Douro e que saíram para trabalhar afirmaram que pretendem regressar, no limite na idade da reforma.

Da análise efetuada destacam-se, ainda, diferentes oportunidades associadas não só ao potencial de atração da região como à notoriedade reconhecida da classificação do Património Mundial. A descentralização do poder para as autarquias e a criação de postos de trabalho ligados às atividades económicas locais são dois dos aspetos que ressaltam da sondagem.

Ana Mendes Godinho, Secretária de Estado do Turismo
Anabela Mota Ribeiro, Comissária da Iniciativa SOMOS DOURO
Fernando Freire de Sousa, Presidente da CCDR-N
Ana Mendes Godinho, Secretária de Estado do Turismo
Anabela Mota Ribeiro, Comissária da Iniciativa SOMOS DOURO
Fernando Freire de Sousa, Presidente da CCDR-N

Voltar ao Topo da Página