Saltar para o conteúdo principal da página

Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte

Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte União Europeia

Menu Mobile

Os resultados provisórios das Contas Regionais de 2018, divulgados pelo INE, indicam que todas as regiões portuguesas registaram um crescimento do PIB em termos reais, mas colocam a Região do Norte como a que mais cresceu com 2,9 por cento, tendo a média nacional ficado em 2,4 por cento.

“O crescimento do PIB da região Norte foi influenciado pelo desempenho do VAB do ramo da indústria e energia e pelo ramo do comércio, transportes, alojamento e restauração, ramos com relevância na sua estrutura produtiva”, lê-se no documento do INE.

A importância deste crescimento justifica-se porque, no contexto do país e da União Europeia, a coesão regional é avaliada através da expressão atingida pelas assimetrias regionais do PIB per capita. Assim, e apesar desta subida antecipada pelos resultados provisórios do INE, a Região do Norte continua a sobressair por ter o índice mais baixo de Portugal.

O documento acrescenta, ainda, que em termos sub-regionais existe um diferencial de 35 pontos percentuais, entre o maior e o menor índices observados, respetivamente, na Área Metropolitana do Porto (95,8 por cento) e no Tâmega e Sousa (60,8 por cento).

Voltar ao Topo da Página