Investimento

“Solidariedade europeia tem um reflexo enorme no país e na Região do Norte”

Debate 30 Anos Política de Coesão

A CCDR-N promoveu, na Semana Europeia das Regiões e dos Municípios 2019, um debate em torno dos 30 Anos da Política de Coesão e os oradores foram unanimes ao defenderem que “a solidariedade europeia tem um reflexo enorme no país e na Região do Norte”. A citação foi do Presidente da CCDR-N, Freire de Sousa, que referiu-se a diferentes investimentos apoiados como infraestruturas rodoviárias e de saneamento, qualificação dos portugueses, escolas, universidades e hospitais.

O debate serviu, igualmente, de prospetiva para o próximo quadro 2021-2027, com a antecipação das prioridades para a aplicação dos fundos europeus. Diminuir as assimetrias dentro da própria região é, segundo indicaram os oradores, um dos principais caminhos, uma vez que as diferenças entre as sub-regiões são substanciais a diferentes níveis. “Temos um Norte a várias velocidades”, destacou Miguel Alves, Presidente do Conselho Regional do Norte.

O eurodeputado José Manuel Fernandes salvaguardou que “não adianta ter um grande envelope financeiro se centralizarmos tudo nos programas temáticos” e reclamou por uma maior participação das comunidades intermunicipais na gestão das verbas europeias. Já o eurodeputado Manuel Pizarro fez referência ao Plano Nacional de Investimentos 2030 para dar nota que o levantamento das prioridades está efetuado.

Por último, Ester Silva, Vice-Presidente da CCDR-N, concluiu que o grande desafio é incrementar a resiliência da região face a choques externos e incentivar a abertura ao exterior em investimentos que, de facto, acrescentem valor.