Região do Norte

Universidade das Nações Unidas vai instalar-se em Guimarães

Formação dirigida a altos quadros dirigentes mundiais em governação eletrónica

A Universidade do Minho (UMinho) vai acolher no pólo de Guimarães uma unidade da Universidade das Nações Unidas (UNU) para o ensino e investigação no domínio da governação eletrónica. O acordo que estabelece a vinda da UNU para Guimarães foi hoje, 23 de maio, oficializado no Palácio de S. Bento entre o Governo português e o reitor da Universidade das Nações Unidas, David M. Malone, na presença do primeiro-ministro, do ministro-Adjunto Poiares Maduro, que assinou o documento, do ministro da Educação e, também, do reitor da UMinho e dos presidentes da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) e da Câmara Municipal de Guimarães.

Resultando de uma estreita colaboração mantida entre o Governo, as presidências da CCDR-N e da Câmara Municipal de Guimarães e a Reitoria da UMinho, a Universidade das Nações Unidas contará com um corpo docente repartido entre a UNU e a UMinho e será responsável pela formação de altos quadros dirigentes mundiais em governação eletrónica.

A UNU é uma comunidade internacional de estudiosos envolvidos na investigação, formação de pós-graduação e disseminação de conhecimento em prol dos propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas, trabalhando com as principais universidades e institutos de pesquisa nos Estados-Membros da Organização das Nações Unidas (ONU).Criada a 6 de dezembro de 1973 por resolução da Assembleia Geral da ONU, a UNU tem sede em Tóquio, no Japão, e funciona em 13 institutos localizados na Bélgica, Alemanha, Malásia, Holanda, Finlândia, Islândia e Venezuela.