Espetáculo

António Jorge Gonçalves, Ana Brandão e Filipe Raposo

António Jorge Gonçalves, Filipe Raposo e Ana Brandão juntam desenho, piano e voz no Museu do Côa

O Museu do Côa acolheu um espetáculo de desenho digital e piano a 16 de junho, pelas 22h00. Quando começámos a criar obras de arte? Que sabemos dos homens que nos deixaram estas gravuras? O motivo que os levou a desenhar no Paleolítico é o mesmo pelo qual desenhamos hoje? Trazendo às paredes de Foz Côa o eco das gravuras rupestres, António Jorge Gonçalves e Filipe Raposo procuram respostas e sobretudo melhores perguntas. Acompanhou-os a atriz e cantora Ana Brandão.

Usando duas das ferramentas tecnológicas mais marcantes da história - o computador e o piano - transportaram-nos pelos sentidos e pelas palavras até ao primeiro sinal sensível da nossa presença no universo.

 

Esta sessão insere-se na iniciativa "SOMOS DOURO", promovida pela CCDR-N, a Comunidade Intermunicipal do Douro e a Liga dos Amigos do Douro Património Mundial no âmbito da classificação do Alto Douro Vinhateiro Património Mundial. Comissariada por Anabela Mota Ribeiro, jornalista natural da região, esta ação foi desenhada para envolver a população do território num festival que inclui um fórum, conversas, roteiros, oficinas e espetáculos nos 19 concelhos do Douro.