Região Norte

Disparidades inter-regionais portuguesas são as segundas menores da UE

Análise do Eurostat

As disparidades inter-regionais em Portugal foram as segundas menores da União Europeia em 2018, imediatamente a seguir às observadas na Finlândia. A conclusão é do Eurostat, autoridade estatística da União Europeia, usando como critério a diferença percentual entre o PIB per capita das duas regiões com os valores mais alto e mais baixo, avaliado em paridade do poder de compra (ppc). Em Portugal, a Área Metropolitana de Lisboa registou o PIB per capita mais elevado (30.200 em ppc), superando em 53% o valor observado na Região do Norte (19.700 em ppc), o mais baixo entre as NUTS II nacionais.

Na análise do Eurostat, agora divulgada, as menores desigualdades territoriais em Portugal não escondem, porém, uma realidade mais negativa no que diz respeito ao reduzido nível de desenvolvimento das suas regiões no contexto europeu, resultante de um conjunto de debilidades estruturais. Da análise de 2018 ressalta a exceção da Área Metropolitana de Lisboa com um PIB per capita, em ppc, igual a 100 por cento da média da UE27. Todas as restantes NUTS II de Portugal observaram um valor inferior ao da média da UE. Em particular, o PIB per capita da Região do Norte, em ppc, representava 65 por cento da média da UE27, um valor praticamente em linha com o observado na Região do Centro (67 por cento) e na Região Autónoma dos Açores (68 por cento). Entre as restantes NUTS II, o Alentejo (72 por cento) e a Região Autónoma da Madeira (75 por cento) tinham níveis inferiores ao observado em Portugal como um todo (77 por cento), sendo que apenas o Algarve (86 por cento) e a Área Metropolitana de Lisboa (100 por cento) superavam a média nacional.