No 1º trimestre de 2019, o setor secundário, composto maioritariamente pelas indústrias transformadoras e pelo ramo da construção, contribuiu com 1,5 pontos percentuais (p.p.) para o crescimento de 1,9 por cento do emprego total da Região do Norte. Dos 31,3 mil empregos criados por todos os ramos de atividade, cerca de 18,3 mil (59 por cento) tiveram origem no ramo da construção e 6,6 mil (21 por cento) vieram das indústrias transformadoras.

O ramo da construção foi mesmo o mais dinâmico durante o 1º trimestre de 2019. Em termos homólogos, o emprego na construção cresceu 17,2 por cento, os edifícios licenciados para habitação aumentaram 13,3 por cento e a avaliação bancária das habitações cresceu 6,9 por cento. Estes valores são destaque na análise efetuada no último relatório NORTE CONJUNTURA.

Os indicadores trimestrais do NORTE CONJUNTURA dão igualmente nota de que o valor das exportações de mercadorias por parte de empresas da Região do Norte aumentou 2,3 por cento, em termos homólogos, traduzindo-se numa ligeira aceleração face ao trimestre precedente. Esta aceleração resultou, em particular, do forte crescimento de 7,6 por cento das exportações de automóveis, outros veículos terrestres, partes e acessórios.