A CCDR-N destacou, na sessão que assinalou o 30º aniversário da Comissão Arco Atlântico, o potencial de crescimento das energias renováveis marinhas nas regiões atlânticas, não só tendo em conta a oportunidade da sua localização, com condições ambientais favoráveis, mas também pelo aparecimento de soluções alternativas e cada vez mais eficazes na produção de energia elétrica.

Num painel em que foram debatidos pontos comuns às regiões atlânticas, Ester Silva, Vice-Presidente da CCDR-N, acrescentou que o investimento que já está ser realizado neste setor tem sido apoiado, em parte, pelos fundos europeus através do programa transnacional INTERREG Atlantic Area. São exemplos de projetos cofinanciados BLUE-GIFT, que presta apoio a empresas para testar a próxima geração de tecnologia de Energia Renovável Marinha em ambientes marítimos reais, SEAFUEL, que pretende demonstrar a viabilidade do hidrogénio como combustível de frotas de transportes locais, e MONITOR, que se debruça sobre a fiabilidade dos conversores de energia das marés.

A sessão serviu, igualmente, para as regiões parceiras debaterem políticas europeias em matéria marítima, incluindo as consequências do Brexit e as futuras relações com o Reino Unido.