Roteiros

António Carvalho

António Carvalho conduz roteiro no Crasto de Palheiro e Porca de Murça

No roteiro que destaca o Crasto de Palheiros, também conhecido localmente como "Fraguedo ou Fragada de Palheiros", e a Porca de Murça, que se realizou a 13 de junho, pelas 17h00, o guia convidado é António Carvalho, diretor do Museu Nacional de Arqueologia. O responsável fez uma leitura do território, falou sobre quem somos e explorou os vestígios da história aqui existentes. 

Ali, na freguesia de Noura e Palheiros, numa imponente crista quartzítica de onde se domina um vasto território, comunidades humanas estabeleceram-se no início do III milénio a.C., num tempo que designamos por Calcolítico, tendo o local sido habitado, de forma mais ou menos permanente, até à Idade do Ferro (I milénio a.C.). O castro, povoado implantado no cabeço rochoso e amuralhado, é, naquele local, o tipo de habitat mais estruturado e portanto mais visível, e que mais tempo foi utilizado pelo Homem, ao longo da diacronia já referida. Pela sua importância e pelas condições de acolhimento ao visitante que presentemente oferece, o Crasto de Palheiros integra o que já foi designado como um roteiro de sítios arqueológicos visitáveis em Portugal (Jorge Raposo, 2001).

 

Esta sessão insere-se na iniciativa "SOMOS DOURO", promovida pela CCDR-N, a Comunidade Intermunicipal do Douro e a Liga dos Amigos do Douro Património Mundial no âmbito da classificação do Alto Douro Vinhateiro Património Mundial. Comissariada por Anabela Mota Ribeiro, jornalista natural da região, esta ação foi desenhada para envolver a população do território num festival que inclui um fórum, conversas, roteiros, oficinas e espetáculos nos 19 concelhos do Douro.