Missão Douro

Armazém da Quinta do Portal dá Prémio de Arquitetura do Douro 2011 a Siza Vieira

Galardão da 3ª edição entregue a 18 de abril de 2011

O Armazém da Quinta do Portal foi hoje anunciado, em Vila Real, como o grande vencedor da edição 2010/2011 do Prémio de Arquitectura do Douro. A obra, da autoria do arquitecto Siza Vieira, foi seleccionada entre um conjunto de 14 obras arquitectónicas durienses que concorreram à iniciativa promovida pela Estrutura de Missão do Douro (EMD) da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) e financiada pelo “ON.2 – O Novo Norte” (Programa Operacional Regional do Norte).

A obra vencedora desta edição do Prémio de Arquitectura do Douro, localizada em Celeirós do Douro (Sabrosa), consiste num armazém de envelhecimento e estágio de vinhos integrado na Quinta do Portal que, composto por quatro pisos, goza de uma integração notável na paisagem duriense, respeitando a sua singularidade e valor patrimonial. O galardão conquistado pelo projecto engloba uma escultura do artista plástico Rui Sanches e uma placa comemorativa para a fachada da obra.

Na cerimónia de entrega do Prémio de Arquitectura do Douro, e de acordo com deliberação do júri, foram também atribuídas duas menções honrosas, uma ao projecto de remodelação e ampliação da Quinta do Vallado, em Vilarinho de Freires, da autoria do arquitecto Francisco Vieira de Campos, e outra à Capela de Travassos, em Loureiro, projectada por Paulo dos Santos Moura. Ambas no concelho de Peso da Régua, mereceram especial consideração do júri, que classificou o conjunto de candidaturas apresentadas a esta iniciativa como representativo de casos exemplares de arquitectura ligadas à economia vitivinícola da região, mas também a políticas de qualificação urbana.

Contemplando edifícios ou conjuntos arquitectónicos construídos depois da classificação do Douro Vinhateiro como Património da Humanidade, a 14 de Dezembro de 2001, e concluídos até à data limite de entrega das candidaturas, o Prémio de Arquitectura do Douro visa distinguir e promover boas práticas do exercício da arquitectura na Região Demarcada do Douro, bem como estimular a excelência no ordenamento do território e na intervenção na paisagem.