O crescimento do emprego na Região do Norte acentuou-se no 2º trimestre de 2016, registando uma variação homóloga de 1,1 por cento (equivalente a mais cerca de 17 mil pessoas empregadas), depois de no trimestre inicial do ano ter crescido apenas marginalmente (0,1 por cento). A conclusão é destaque no “NORTE Conjuntura”, relatório trimestral da CCDR-N que identifica precocemente as tendências que marcam a evolução económica, a curto prazo, no território.

O relatório do 2º trimestre de 2016 dá, igualmente, conta de uma descida acentuada da taxa de desemprego, com cerca de menos 35 mil pessoas desempregadas. Este indicador recuou para o valor mínimo dos últimos seis anos e meio, fixando-se em 11,6 por cento (registo que compara com 13,3 por cento no trimestre anterior e com 13,4 por cento no período homólogo do ano transato).

O segundo trimestre de 2016 ficou, ainda, marcado pela evolução positiva da generalidade dos indicadores relacionados com o consumo privado, com a ocupação dos estabelecimentos hoteleiros e com as exportações, mantendo-se o Norte de Portugal como a região que mais impulsiona as exportações nacionais.