O Presidente da Assembleia da República (AR), Eduardo Ferro Rodrigues, enalteceu na sessão evocativa dos 50 anos da criação das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional “a extraordinária capacidade de estabilidade” destes organismos. “Sempre a trabalharem bem e a responder às necessidades”, frisou o governante na conferência “Descentralizar o Estado, Reforçar as Regiões”, que se realizou ontem no Museu de Serralves e que serviu de debate e prospetiva sobre o modelo de desenvolvimento regional do país.

Eduardo Ferro Rodrigues justificou que numa altura em que “há um turbilhão eleitoral” o momento não é propício para colocar na agenda a proposta de regionalização de Portugal e afirmou que a oportunidade chegará após as eleições europeias, legislativas e das regiões autónomas da Madeira e dos Açores.

As declarações encerraram uma conferência em que diferentes personalidades da Região do Norte recordaram o contributo da CCDR-N para o desenvolvimento da região, nomeadamente em matéria de planeamento sobre investimentos estruturantes para o Norte de Portugal. Já Maria do Céu Albuquerque, Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, abordou o trabalho de coordenação já em curso sobre o próximo quadro comunitário 2021-2027 e que está a ser negociado com as instâncias europeias.

O momento foi, igualmente, aproveitado para a partilha do testemunho de Alberto Núñez Feijóo, Presidente da Junta da Galiza e da Comunidade de Trabalho Galiza-Norte de Portugal. O responsável recordou o ato de 1991, que institui a primeira Eurorregião da Europa e reiterou a importância de investimentos conjuntos para a competitividade deste território. Feijóo mencionou como prioridades o cluster automóvel, os Caminhos de Santiago de Compostela, o desafio do envelhecimento populacional e a macrorregião RESOE.

Já na abertura Fernando Freire de Sousa, Presidente da CCDR-N, deixou uma palavra de apreço a todos os colaboradores que fizeram a instituição nos últimos 50 anos e, no ano em que se assinala o centenário de Sophia de Mello Breyner, citou os seus versos: “Construirás - como se diz - a casa térrea - Construirás a partir do fundamento”.