Os dados regionais, que se destacam no último relatório NORTE CONJUNTURA publicado trimestralmente pela CCDR-N, seguem a tendência nacional de queda do desemprego. Com efeito, a taxa de desemprego na Região Norte cifrou-se em 9,5% no 2º trimestre de 2017, cotando-se em queda quer face ao trimestre imediatamente anterior (10,9%) quer no confronto com o trimestre homólogo do ano passado (11,6%). Longe vai já o pico de 18,5% que fora atingido no primeiro trimestre de 2013.

Já numa análise em termos relativos, a sub-região do Norte com a descida mais acentuada do desemprego registado foi o Alto-Minho, com uma variação homóloga de -24,8%. Seguem-se o Cávado e Terras de Trás-os-Montes com variações homólogas de -23,4% em ambos os casos e o Tâmega e Sousa com -21,0%.

Por outro lado, o emprego continuou a crescer a bom ritmo na Região do Norte (4,1% em termos homólogos), impulsionado sobretudo pela dinâmica inédita neste século dos setores do alojamento e restauração e da construção.

De destacar, ainda, o comportamento da taxa de emprego (dos 20 aos 64 anos), que igualou, no 2º trimestre de 2017, o seu nível máximo dos últimos 14 anos.