Investimento

Rally de Portugal 2015 gera impacto económico recorde na Região Norte

127,4 milhões de euros na economia do turismo

“Um retorno de 127,4 milhões de euros na economia do turismo e imagem do destino” é um dos dados mais significativos apontados pelo estudo de impacto, na Região Norte, da última edição do WRC Vodafone Rally de Portugal, realizada em maio passado.

O estudo foi apresentado esta tarde, na sede da CCDR-N, em parceria com o Automóvel Club de Portugal (ACP) e o Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), e na presença dos 13 municípios envolvidos na realização da 49ª volta do Rally de Portugal.

Outros dados muito significativos para a Região Norte são apontados pelo estudo, da autoria do Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve em parceria com a Universidade do Minho, e remetem para o número de turistas e visitantes nacionais e estrangeiros, centenas de milhares, tendo 82% deles classificado o destino como bom ou muito bom, e revelado a intenção de regressar à Região.

Uma passagem pela Região que, conforme revela o estudo, originou despesas afetas ao WRC Vodafone Rally de Portugal 2015 proporcionando ao Estado Português uma receita fiscal bruta que atinge os 24,3 milhões de euros.

O mesmo estudo assegura que cada um dos municípios envolvidos na prova terá assegurado um retorno económico direto que oscila entre os 358 mil a 5,54 milhões de euros. Simultaneamente, os efeitos económicos são também extensíveis aos demais municípios da Região Norte, os quais garantiram 25,4 milhões de euros de impacto direto.

Já na perspetiva das exportações de serviços associadas ao Rally enquanto produto turístico, o evento gerou um fluxo de exportações de turismo no valor imediato de 30,3 milhões de euros.

Números que permitem consolidar o WRC Vodafone Rally de Portugal como um “veículo de projeção nacional e internacional de uma boa imagem do Norte de Portugal”, lê-se ainda no estudo.

No total foram realizados 1.163 inquéritos presenciais a adeptos nacionais e estrangeiros que assistiram a um ou mais dias de prova. Os entrevistados, dos quais entre os não residentes 42,6% são adeptos provenientes de Espanha, classificaram o Rally como bom ou muito bom em mais de 78% das observações, tendo destacado como tributos mais relevantes na imagem do Rally: o nível de espetacularidade, o cumprimento das regras de segurança pelo público e a organização do evento no geral.

Um regresso às origens no Norte de Portugal, que contou com o apoio dos fundos comunitários, através do “ON.2 – O Novo Norte”.