URBACT III

Guimarães e Valongo com selo “URBACT Boas Práticas”

Divulgação europeia

Guimarães e Valongo são as duas cidades do Norte de Portugal que conquistaram o selo “URBACT de Boas Práticas”, atribuído pela primeira vez pelo programa europeu de cooperação territorial URBACT III, lançado pela Comissão Europeia no ciclo 2014-2020 que promove e financia a constituição de redes temáticas de cidades. O objetivo é motivar as cidades europeias a trabalharem no desenvolvimento conjunto de soluções para os desafios urbanos contemporâneos como as alterações demográficas, as questões ambientais, a pobreza urbana ou o desemprego.

As cidades que conseguiram o reconhecimento vão beneficiar de uma ampla divulgação em canais europeus e participarão no Festival URBACT, que se realiza de 3 a 5 de outubro, em Tallin, na Estónia, que juntará cerca de 400 participantes num programa interativo dedicado ao desenvolvimento urbano sustentável.

Guimarães foi distinguido com o projeto “P2GREeN – Proteção e Promoção da Biodiversidade de Guimarães - Património Natural”, que envolveu universidades, técnicos, escolas e população em geral em ações participativas e inovadoras. O município destaca ações como a elaboração do Plano de Controlo de Espécies Invasoras e de uma base de Dados de Biodiversidade, da qual nasceu a nova aplicação móvel “Biodiversity GO!”.

Já o selo “URBACT Boas Práticas” atribuído a Valongo premeia o projeto “Biblioteca Humana”, uma iniciativa dirigida a estudantes dos 14 aos 18 anos e adotada pelo slogan “Não julgues o livro pela capa”. As atividades desenvolvidas baseiam-se em “livros humanos”, com voluntários a personificar estereótipos de grupos sociais como pessoas de etnia cigana, imigrantes, homossexuais ou amblíopes.